Sabe aquele cheiro de cachorro e gato que fica na casa de quem tem esses animais de estimação? Os donos não sabem, afinal, se acostumam e, no fundo, nem se incomodam muito com isso. Já as visitas… É só entrar no ambiente que logo sentem aquele cheirinho característico que toma conta da casa. E isso não tem nada a ver com higiene dos bichinhos ou limpeza do local. Mesmo tudo sendo bem limpinho, os animais têm odores característicos e é natural que tomem conta, principalmente se eles ficam nos tapetes, sofás e poltronas.

Se isso for um incômodo, dá para ser facilmente resolvido. Nem pense em passar perfume ou qualquer outro produto porque só vai piorar. O bicho pode ter alegrias e não vai resolver, na verdade será um tiro no pé porque vai ficar com aquele “cheiro ruim disfarçado com perfume”, uma mistura esquisita e desagradável.

Nessa edição de #Estotips, o Torrego pegou uma dica certeira e bem simples com o nosso consultor Roberto Martins Figueiredo, o conhecido Dr. Bactéria. Uma verdadeira poção mágica que é fácil de fazer e ainda mais fácil de aplicar.

Vamos à receita? Você vai precisar de:
1 litro de água
meio copo de vinagre
1 colher de sopa bem cheia de bicarbonato de sódio
meio copo de álcool
uma colher de sopa de amaciante de roupas

Agora, vamos à alquimia:
Misture a água, o vinagre e o bicarbonato. Quando formar uma espuma, como mágica mesmo, acrescente o alcool e, por fim, o amaciante.

Aí, é só colocar em um borrifador, aplicar na superfície desejada a uma distância de um palmo e passar um pano. Pronto! Está feita a mágica. Tudo limpinho e cheirosinho.

O segredo da fórmula é a ação de cada um dos componentes. O vinagre desinfeta a área; o bicarbonato tem ação desodorizante, ou seja, vai anular os cheiros existentes; o álcool ajuda na eficácia do produto, pois faz com que tudo evapore rápido, além de também desinfetar; e o amaciante deixa aquele cheiro gostoso. Tudo isso acontece imediatamente, tão logo o produto é aplicado.

E atenção: não coloque no cachorro ou no gato, heim? Isso é exclusivamente para uso em objetos da casa.

Bom de faro
Falamos dos cheiros dos animais pelo lado dos humanos. Mas tudo tem o outro lado… E pelo lado dos animais os odores são coisa séria. Mais que isso, são essenciais para os cachorros. Eles farejam tudo e todos, sempre enfiando o focinho pelos cantos. Isso porque o olfato é o mais dominante e importante sentido dos cães. É esse o jeito deles identificarem pessoas, lugares, animais, além da comida (já percebeu como o cheiro da alimentação deles é super forte?).

Mas vai muito além da rotina deles. O olfato canino é tão poderoso que pode ser usado em muitas outras funções importantes para o homem, como detectar o cheiro de doenças. entre elas o câncer. Isso porque as pessoas que doentes têm mudanças no cheiro do suor, da urina e até da respiração. Mas precisa ter o devido treinamento, claro.

Muitas curiosidades sobre o olfato dos cães estão no livro Cão Senso, escrito pelo biólogo John Bradshaw, que tem mais de 20 anos de experiência e estudos sobre o assunto. Aqui vão algumas delas:

– três dias após o parto, as mães cadelas produzem uma substância em volta das glândulas mamárias que, em contato com as bactérias da pele, cria um odor para atrair e acalmar os filhotes;
– sabe aquela mania esquisita de cheirarem os rabos um do outro? Isso acontece porque essa região é rica em informações, uma espécie de assinatura ou a digital deles. Outro ponto forte é atrás das orelhas;
– o cachorro tem um sistema olfativo que fica acima do céu da boca e serve para detectar os hormônios que todos os animais naturalmente liberam. É por aí que identificam parceiros em potencial, animais amigáveis ou hostis e o estado emocional dos humanos;
– pastor alemão é a raça mais usada como cão-policial por ser um grande farejador por natureza. Ele tem de 220 milhões a 2 trilhões de nervos que ligam o epitélio olfativo (que captura e analisa o cheiro) até o cérebro;
– o xixi no poste é mais do que marcar território, ele tem uma série de informações e ajuda na comunicação com os outros da sua espécie. Quando o cachorro cheira o poste, ele consegue saber quem esteve ali pela última vez: se foi fêmea ou macho, adulto ou filhote… e faz o xixi em cima para comunicar quem ele é para os próximos cães.

E esses são apenas alguns dos motivos pelos quais o olfato dos cachorros é tão importante. E nem pense em impedir que ele cheire tudo e todos, porque esse ato simboliza que ele está saudável. Além disso, tirá-lo a rotina pode afetar o comportamento do animal. O melhor mesmo é se puder incentivar, levando a lugares diferentes, apresentando pessoas e animais diferentes… Em casa, o estímulo pode vir por meio de brincadeiras, colocando petiscos escondidos em brinquedos, por exemplo.

E os gatos?
Ao contrário dos cães, nos gatos o olfato é menos importante que a visão e a audição. De acordo com o livro Larousse Do Gato e do Gatinho, o focinho do gato é formado por uma mucosa cheia de nervos e um total de 67 milhões de células, contra a média de 200 milhões do cachorro e apenas 5 milhões nos humanos.

Mesmo assim, o olfato felino é super importante. É ele que ajuda a reconhecer o território, e com o passar do tempo fica tão apurado que consegue identificar o sexo de outro animal, o seu tamanho e se ele é da sua espécie apenas pelo cheiro. Uma vez que o paladar é pouco desenvolvido, é pelo cheiro que ele escolhe e identifica o alimento. Aliás, nos primeiros dias de vida é o olfato que conduz o recém-nascido até a mama para se amamentar.

Quando muda de ambiente, a falta de um cheiro conhecido deixa os gatos inseguros, por isso vale considerar sprays ou difusores com ferormônios artificiais que ajudam a orientar o animal e fazer com que ele acostume com um ambiente novo ou até mesmo com um irmãozinho adotado.

Deixe uma resposta