Você fala não? A verdade é que a maioria das pessoas não fala não. Seja por medo, seja por insegurança, seja baixa autoestima, seja por não querer magoar, seja para ser boazinha… Motivos não faltam para fugirmos dessa palavra tão negativa. E isso não é legal.

Esse foi o papo de hoje no #SemFiltro, entre os amigos Torrego, o cake designer Rodrigo Cacciatore, a jornalista Faniana Bruno, a psicanalista Diana Dahre e a sommelier Keli Savieto.

Falar ‘não’ é um autoboicote
“É um jogo errado esse de não falar não para nada e para ninguém. Porque quando você fala sim para o outro, está falando não para você mesmo”, alerta a psicanalista Diana Dahre. E aí, significa passar por cima dos próprios desejos, vontades, crenças. Você abre mão da sua felicidade pela felicidade do outro.

Falar ‘não’ é cultural
“Brasileiro vem de uma cultura de sempre falar ‘sim’. Marca reunião com amigos no sábado mesmo sabendo que não vai, por exemplo. Brasileiro está sempre disposto a tudo, é cultural”, analisa a Diana. E conhecemos bem esse filme, depois, precisa inventar desculpas e formas de sair dessa, ou simplesmente honrar o compromisso sem realmente querer estar lá. Esse é um exemplo mais simples, mas que traduz o que acontece em relação a tudo: trabalho, relaciona-mentos, pequenas situações no dia a dia….

Falar ‘não’ também é falar sim
Geralmente, a tendência é acharmos que um “não” vai magoar a outra pessoa. Mas muitas vezes ela é uma demonstração de atenção e carinho com o outro. Um ‘não’ coloca limite ao filho ou o prepara para a vida, que nem sempre é feita de sim’s. Ao dizer não, estimulamos a pessoa a ir atrás por conta própria, descobrir saídas, se desenvolver e crescer.

Por que falamos ‘não’?
Motivos não faltam. Queremos ajudar o outro e ser legais com eles, ainda que isso coloque nossas prioridades de lado (o que não é legal, não é mesmo?). Queremos atenção, porque somos seres vaidosos e falar ‘sim” nos faz parecer alguém mais legal e generoso. Queremos ser educados, e não parecer rude com a negativa para o outro. Queremos evitar conflitos, aceitamos fazer favores nem sempre bons ou viáveis para garantir que o lado de lá não fique bravo e reaja mal. Queremos abraçar o mundo e não deixar passar oportunidades. Mas adivinha? Não é abrindo mão da sua vontade que vai conseguir abrir portas.

Mas como falar ‘não’?
Lembrando de alguns pontos, fica mais fácil. Anote aí:
Não, não faça rodeios. Vá direto ao ponto e lembre-se que se está fazendo isso, é porque é o melhor para você, sem culpa.
Não, não responda na hora. Às vezes você precisa de um tempo para pensar e decidir se sim ou se não, ou na melhor forma de se expressar e colocar seu ponto de vista.
Não, não são apenas cinco minutinhos. Pode parecer uma coisa simples, fácil de resolver, e você pensa “por que não fazer essa gentileza?”. Mas lembre-se que pode não ser tão simples assim ou, mais do que isso, que você simplesmente não quer se envolver naquela situação, ainda que sejam apenas alguns segundos.
Não, nós não agradamos todos mundo – e pense como seria chato se isso acontecesse?
Não é não. Resolveu e decidiu? Encare, diga, e deixe a culpa de lado. Você não está fazendo nada de errado ao oensar em você mesmo. E tudo bem se mudar de ideia, precisar voltar atrás e trocar a negativa pelo sim.

Além disso, existe um estudo publicado no Journal of Consumer Research no qual pesquisadores da Faculdade de Boston e da Universidade Houston (Estados Unidos) falam sobre o tema e também pode ajudar muito os inseguros de plantão.

Segundo eles, a alma do negócio é escolher bem as palavras na horas de falar não. A forma co-mo falamos tem impacto em como o outro vai receber a informação, e até mesmo em você, quando a negativa vem nas suas próprias atitudes. Eles dizem que ser firme é essencial. Falar “eu não como isso” funciona melhor do que“eu não posso comer isso”. A explicação é que a firmeza provoca um efeito psicológico que nos prepara melhor para resistir à tentação de comer.

Outro exemplo? Dizer “Eu não falto às aulas da academia” dá mais motivação do que o “não posso faltar às aulas”.

“Ao falar consigo mesmo ou com outras pessoas, dizer ‘não posso’ sugere que você talvez queira fazer aquilo, mas algo o impede. Essa escolha de palavras demonstra que, em outras circunstâncias, você aceitaria o pedido que foi feito; ao dizer ‘não vou fazer’ no lugar de ‘não posso’, você não abre espaço para debate”, explica a editora da revista SUCCESS, Mel Robbins, sobre os estudos. Segundo ela, temos que evitar esse tom de incerteza.

E ouvir ‘não’, você sabe?
Essa também é uma tarefa difícil para algumas pessoas. “Tem a ver com a autoestima, com ter personalidade forte e saber o que quer”, comenta a Diana.

O Torrego nos mostrou como fazer dos nãos os degraus para chegar lá, sim. “Aprendi desde cedo que ‘não’ é um desafio para transformar em um ‘sim’. Na minha mente, sempre penso ‘você pode, você consegue’ a cada negativa que aparece”.

Para finalizar, que tal uma palavra de motivação de um nome de grande sucesso? Quantos nãos eles ouviu? E quantos nãos ele precisou falar para chegar lá? Não sabemos, mas eles existiram com certeza, como na vida de todos nós. E eles não deu muita importância para eles, apenas se sustentou nas suas crenças, sonhos, desejos. ‘Não’ é não abrir mão de quem você é.

“Seu tempo é limitado, então não o desperdice vivendo a vida de outra pessoa… Não deixe o ruído da opinião dos outros abafar a sua voz interior”, Steve Jobs.

Deixe uma resposta