Paulo Kev é entrevistado pelo nosso apresentador âncora Rubén Torrego para o segmento ESTOTUCASA, definitivamente foi um bate-papo inteligente, com traços de bom humor e muita informação, temos certeza que todos ficaram curiosos para saber os mitos e realidades sobre este tema que não tinha sido colocado como uma realidade num futuro não muito longe, alias não tinha sido nem apresentada a proposta ou muito menos comentada, Rubén Torrego e Paulo Kev falam sobre a importância de dar um rumo diferente ao nosso momento atual do uso da energia como tal, Paulo vêm trabalhando essa ideia e proposta a faz quase uma década, sem dúvida quando é apresentada uma proposta inovadora e revolucionaria no só no cotidiano da nossa vida e sim na história mesma de um pais e do mundo, não é fácil, tem que se escutar muitas teorias de conspiração e muitos “não” no caminho, porém quando além da ideia, se cria a teoria, a hipótese, a experimentação e pratica, testando-a uma e outra vez, até ter certeza que vai pelo caminho certo, essas propostas deixam de serem simples propostas revolucionarias e tornam-se projetos viáveis para a sustentação e repartição do uso e administração da energia como tal, Paulo Kev já tem apresentando este projeto para os diferentes ministérios competentes no Brasil, e alguns outros países, assim como presente dentro de reuniões da ONU falando sobre o meio ambiente, consequências e como poderíamos aproveitar e transformar o até hoje uso de eletricidade pela energia pura.

Pensa na simples ideia de parar de utilizar a agua como recurso na geração de eletricidade?
Em deixar do lado a geração de eletricidade e energia eólica?
A geração de energia heliotérmica?
A geração da energia de forma nuclear?
O uso do petróleo para gerar energia elétrica?

Geração de energia pela própria energia multiplicada e colocada em “contentores” administradas e distribuídas por “pacotes” a os cidadãos, seria tanto quanto comprar créditos para o celular e utilizar até eles acabarem… Será que isso da certo mesmo? Será que é viável para o cidadão ter esta opção como recurso? Será que os governos vão permitir parar de lucrar com todas as outras vias, em que até hoje tem estado lucrando e como cidadãos temos pago impostos e construções que poderiam deixar de ser necessárias para esta proposta?

Sabemos uma mudança assim vai trazer muitos votos a favor e muitos em contra, principalmente quando trata-se sem dúvida de uma mudança que pode transformar a forma em que até hoje tem sido vista e aceita a energia elétrica, está claro que transformar o produto indiscutivelmente vai transformar o consumidor, sem dúvida alguma uma mudança radical, porém não impossível e sim todo o contrario, para muitos como toda mudança vai ser contraditória, de controvérsia ou desnecessária, difícil de aceitar, muitos serão beneficiados e muitos prejudicados já que é uma oportunidade de valor incalculável para ser transformada em negocio, isso é um fato, todo pode virar negocio em qualquer parte do mundo, neste caso no particular não é a exceção, porém entram fatores políticos, diplomáticos, econômicos, ambientais, urbanos, de risco, custos para o cidadão e muitos outros fatores que sem dúvida teriam que serem avaliados antes mesmo de pensar na possibilidade de dar luz verde a um projeto tão ambicioso.
Uma entrevista para ser pensada e reconsiderada uma e duas vezes até entender exatamente qual será o maior desafio, e qual será o maior beneficio para os cidadãos e governos ao mudar de energia elétrica “eletricidade” para energia.

2 COMMENTS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here